Parlamento aprovou voto de pesar pela morte do bandarilheiro António Badajoz

  

O parlamento aprovou hoje um voto de pesar pela morte do bandarilheiro António Badajoz, que morreu aos 92 anos, lembrando a "lenda da tauromaquia", com o PAN a votar contra e o BE a optar pela abstenção.

A iniciativa foi apresentada pelo CDS-PP e foi aprovada na sessão da Comissão Permanente da Assembleia da República, com o votos favoráveis das bancadas, exceto o PAN, que votou contra e do BE, que se absteve.

O texto recorda o bandarilheiro António Badajoz, que morreu no passado dia 24 de dezembro de 2021, caracterizando-o como "uma lenda da tauromaquia, considerado um dos melhores bandarilheiros portugueses de todos os tempos".

"Com uma sensibilidade e um profundo conhecimento do toiro, António Badajoz foi um génio do toureio que influenciou gerações. Teve uma longa carreira, passou pelas grandes praças e feiras europeias e americanas, e toureou em Macau e na Indonésia", lê-se na iniciativa.

De acordo com o texto, António Badajoz, "junto com o seu irmão, Manuel Badajoz, também bandarilheiro, fundou em 1950 a Escola de Toureio de Coruche, que viria a originar o surgimento de prestigiados bandarilheiros e matadores nacionais, entre eles Ricardo Chibanga, José Falcão, Parreirita Cigano e Víctor Mendes".

"António Badajoz despediu-se das arenas, no Campo Pequeno, a 5 de setembro de 1991", lê-se.



Fonte: touradas.pt