Municípios com Actividade Taurina voltam a repudiar decisão do Governo


Os Municípios com Actividade Taurina voltaram esta segunda-feira, 17 de Fevereiro a repudiar a decisão da Assembleia da República de aumentar o IVA dos espectáculos tauromáquicos para 23%, defendendo a manutenção da taxa reduzida de 6%.

Num comunicado, a Secção dos Municípios com Actividade Taurina da Associação Nacional de Municípios Portugueses, cita o presidente da Câmara de Coruche, Francisco Oliveira, que salienta que, de acordo com a lei, a tauromaquia constitui uma actividade cultural que, nas suas diversas manifestações, é parte integrante do património da cultura portuguesa.

Sublinha, também, o forte impacto social e económico que esta actividade tem no desenvolvimento dos territórios, considerando que a tauromaquia pode evoluir no conceito do bem-estar animal e que os autarcas, cujos Municípios têm actividade taurina, estão preparados para esse debate.

Reunidos neste Plenário que decorreu em Coimbra, estiveram os Municípios de Angra do Heroísmo, Azambuja, Barrancos, Benavente, Chamusca, Coruche, Cuba, Elvas, Moita, Montijo, Moura, Pombal, Santarém e Vila Franca de Xira.

A AR aprovou no dia 06 deste mês a subida de 6% para 23% da taxa de IVA dos bilhetes para as corridas de toiros, rejeitando propostas do Chega, PCP, PSD e CDS-PP para manter o valor na taxa mínima.