Vítor Ribeiro: "Quando não me senti a 100% optei por parar"

O cavaleiro Vítor Ribeiro decidiu em 2016 não tourear. Esteve duas épocas ausente das arenas e agora, reunidas que considera estarem as condições para um regresso, o mesmo acontecerá dia 19 de Maio numa das mais importantes corridas do calendário taurino em Portugal, o Concurso de Ganadarias em Évora. A dias do regresso, o NATURALES esteve à conversa com o toureiro.


VÍTOR RIBEIRO
"Gostava bastante de estar presente esta temporada no Campo Pequeno"

*********************************************************************************

NATURALES: Em 2016, inesperadamente, anunciou que suspendia a sua carreira de cavaleiro profissional. Foi uma decisão difícil de tomar?
VÍTOR RIBEIRO: É sempre uma decisão difícil de tomar mas na altura considero que fiz o melhor. 

NATURALES: Que principais motivos o levaram a isso?
VÍTOR RIBEIRO: Não estavam reunidas as condições necessárias para poder continuar a dar ao público o Vítor Ribeiro ao nível que considero que tenho que andar. Acho que acima de tudo temos que respeitar os aficionados e se não nos sentimos bem é melhor fazer uma pausa. 

NATURALES: E em algum momento, ao longo destes dois anos, se arrependeu dessa decisão?
VÍTOR RIBEIRO: Não, isso nunca me arrependi... 

NATURALES: Na verdade, esta não foi a primeira vez que suspendeu a temporada. Em 2012, também optou por estar um ano afastado das arenas. Acha que o Vítor necessita destas interrupções até como forma de repensar a sua carreira?
VÍTOR RIBEIRO: Acho que, tal como referi numa pergunta anterior, se deve tentar andar sempre a um nível elevado e não andar a cumprir calendário. Eu, aquilo que tenho conseguido, tem sido com muito trabalho e acima de tudo sempre respeitei o público. Por essa razão, quando não me senti a 100% optei por parar . 

NATURALES:  E que condições estavam agora reunidas para decidir regressar em 2018?
VÍTOR RIBEIRO: Acima de tudo acreditei num projecto com o Rui Palma. Também acho que tenho uma quadra ao nível para poder fazer uma temporada bastante bonita e com cavalos novos que será sempre um motivo de interesse para o aficionado. 


NATURALES: A sua primeira corrida, após a suspensão, irá ser a 20 de Maio em Évora no Concurso de Ganadarias. Sendo uma das corridas com mais tradição e importância no calendário taurino em Portugal, sente que vai regressar às arenas com a fasquia alta?
VÍTOR RIBEIRO: Não podia ser de outra forma... Sempre gostei de competição e mais feliz fico por ser em Évora. Uma praça que me tem dado bastante ao longo da minha carreira. 

NATURALES: Nessa corrida em Évora, o Vítor reaparece, o Marcos Bastinhas tem aqui a sua primeira corrida da temporada, e a abrir cartel o consagrado Luís Rouxinol. Vai ser corrida para competição?
VÍTOR RIBEIRO: É um cartel que reúne todas as condições para que haja muita competição. Espero que os toiros ajudem e que seja um grande espectáculo. 

NATURALES: Falou-se que o Vítor poderia reaparecer na corrida que inaugurou a temporada do Campo Pequeno deste ano. O que não veio a confirmar-se. Gostaria que assim tivesse sido e porque não aconteceu?
VÍTOR RIBEIRO: Essa é uma questão delicada... O meu apoderado a certa altura perguntou-me se eu estaria interessado em reaparecer em Lisboa. Claro que respondi que sim! Entretanto, surgiram notícias que davam o meu regresso como certo nessa corrida, mas infelizmente não chegámos a acordo com a empresa do Campo Pequeno e assim, essa hipótese não se concretizou.



NATURALES: Aliás, continua sem estar anunciado para alguma corrida do abono lisboeta até à data. Poderemos estar seguros que, neste ano importante para si, o vamos ver na primeira praça do país?
VÍTOR RIBEIRO: Como é normal tenho um carinho muito especial pela primeira praça do país, já que fui o primeiro cavaleiro a abrir e a sair em ombros pela Porta Grande do renovado Campo Pequeno. Gostava bastante de estar presente esta temporada que é muito importante para mim. 

NATURALES: Que outras corridas já tem agendadas para esta temporada?
VÍTOR RIBEIRO: Posso adiantar que de acordo com o que planeámos para esta temporada, além do que já está anunciado - Évora no Concurso de Ganadarias, duas corridas na Feira das Sanjoaninas na Ilha Terceira e a Feira de Abiúl - irei também estar presente em várias outras importantes feiras e datas taurinas de Portugal.

NATURALES: Como se compõe a sua quadra para esta temporada?
VÍTOR RIBEIRO: Mantenho 3 cavalos dos antigos e tenho 5 cavalos novos que gosto bastante para debutar ao longo da temporada. 

NATURALES:  Este ano surge com o empresário Rui Palma como seu apoderado, mas também com os empresários Miguel Ángel Galanche e Fernando Masedo, que irão gerir a sua carreira em Espanha. Como surgiu esta vontade de também fazer temporada no país vizinho e já existe algum espectáculo agendado?
VÍTOR RIBEIRO: Espanha é sem dúvida um dos países onde a cultura taurina tem maior expressão e visibilidade, e por esse motivo acho que seria muito importante e até motivante, no ano da minha reaparição poder tourear no país vizinho. Estão já algumas negociações encaminhadas nesse sentido.


NATURALES: Durante o tempo em que, de alguma forma esteve do lado de fora das arenas mas atento ao que se passava, como vê o estado actual da nossa Festa?
VÍTOR RIBEIRO: Acima de tudo contente pela qualidade dos meus colegas mais novos que ao longo destas duas temporadas em que estive parado, andaram bastante bem. Fico contente por isso pois acho que a Festa tem o futuro assegurado e a um nível elevado. 

NATURALES: Com que “novo” Vítor Ribeiro podemos contar esta Temporada?
VÍTOR RIBEIRO: Um Vítor Ribeiro sempre com uma vontade enorme de triunfar, dar a todos o meu melhor, como tenho sempre tentado fazer ao longo da minha carreira profissional.






Partilhar no Google Plus

Sobre NATURALES

NATURALES, CORREIO DA TAUROMAQUIA IBÉRICA é um site independente de informação, análise, divulgação e crítica. Existe desde 25 de Julho de 2001, o que faz do NATURALES actualmente, a mais antiga publicação de toiros portuguesa na Internet.
    Blogger Comentários
    Facebook Comentários