Tarde 'à flor da pele' na segunda das Fallas


A segunda corrida da Feira de Fallas em Valência tinha a reaparição do matador sevilhano Manuel Escribano com expoente de interesse, numa terna composta por mais dois toureiros veteranos e de inegável valor, dada a sua trajetória e marcante percurso: Juan José Padilla e Curro Díaz. O coso valenciano registou meia entrada, numa tarde em que por diversas vezes molestou o vento.

A corrida de Fuente Ymbro, parelha e muito homogénea, alguns ofensivos por delante e totalmente ajustados ao que exige a praça de Valência, à excepção do segundo, a carecer de remate. O primeiro, terceiro e quarto reuniram maiores condições para diante deles se fazer obra, ainda que sempre com um punto de casta que vem dando aos Toiros de Gallardo o condão de reunir o preâmbulo entre o apelidado torista e torerista. 

Padilla andou sem pena nem glória diante do primeiro, que a espaços quis investir e algumas vezes com qualidade, recordando-se apenas a boa estocada com que culminou actuação. O quarto fê-lo passar momentos de angústia e de um drama que são inexplicáveis e difíceis de expressar. Foi colhido de forma feia e impetuosa, escapando quase milagrosamente a um desfecho pior. No entanto, e porque Padilla tem um coração e uma alma de eleito, voltou frio e com pundonor à cara do toiro, e ainda que tenha pinchado, cortou uma orelha. A parte médica da corrida dá conta de colhidas na zona da axila, no músculo da perna direita e um varetazo no tórax, pelo qual esperamos que em breve se recomponha e recupere com qualidade.

Curro Díaz, toureiríssimo até a respirar, esteve solvente e com uma classe ímpar diante do quarto, com momentos de um sabor e toreria invulgar. Cortou uma orelha, após ter escutado ovação no seu primeiro.

Manuel Escribano regressou após quase 9 meses em recuperação, e da sua reaparição ficam detalhes da qualidade que atesta o seu toureio. Do seu primeiro fica na retina o tércio de bandarilhas que partilhou com Padilla, mostrando solvência e sentido na faena, sem que conseguisse lograr um nível regular e com contínua qualidade. Recebeu o sexto à portagayola, e voltou a mostrar disposição, mas sem nunca alcançar um patamar realmente importante. Escutou palmas em ambos, tendo-lhe sido tributada uma calorosa ovação antes da saída ao ruedo do primeiro toiro.

Foto: AplausoS.es


Partilhar no Google Plus

Sobre NATURALES

NATURALES, CORREIO DA TAUROMAQUIA IBÉRICA é um site independente de informação, análise, divulgação e crítica. Existe desde 25 de Julho de 2001, o que faz do NATURALES actualmente, a mais antiga publicação de toiros portuguesa na Internet.
    Blogger Comentários
    Facebook Comentários