Tauromaquia: A (des)informação dos números

 
Errado senhores! A Festa dos Toiros não está a "morrer" como agora querem vaticinar pelo facto de uma estatística (de quem certamente falhou algumas aulas de matemática dado que não são contabilizados na realidade todos os espectáculos taurinos realizados) indicar uma diminuição no número de festejos em 2016.

Na verdade, e como bem explica o comunicado da Federação Prótoiro, não foi 2016 que nos tramou, foi 2015, e todos os espectáculos realizados em anos anteriores desde final dos anos 90, que inflacionaram os números. Assim como o S. Pedro, pois de Fevereiro a Julho de 2016, foram muitos, mais do que é normal, os espectáculos cancelados pelo mau tempo (já 2017 fez hoje uma vítima: o Festival da Granja).
Mas afinal houve decréscimo ou não?

Houve, felizmente! Quantidade nunca foi sinónimo de qualidade, há muito que digo isso. E o exagero de espectáculos, muitas vezes com cartéis repetidos, só prejudica a própria Festa dos Toiros.

Em compensação, 2016 trouxe-nos mais qualidade, mais rigor, uma homogenia no comportamento das reses bravas (menos mansos impossíveis de lidar) e até deu fôlego ao Toureio a Pé (Estaremos próximos do passo seguinte? A corrida integral?! Assim seja...).

Ainda assim, isto não importa aos media generalistas, ansiosos por transmitirem de forma descabida e sensacionalista uma realidade "virtual", de quem simplesmente desconhece a verdade da Tauromaquia. O importante para estes meios é descontextualizar e passar a pior imagem possível. Pois não me recordo de os ver, por exemplo, falar em 2016 da loucura que foi a presença de Padilla por duas vezes em Lisboa...

De igual modo, a "prensa especializada", a primeira a acusar os números de 2016, vem quase que meter o rabinho entre as pernas e as mãos na cabeça, limpando-se do mea culpa, como se aquilo que nos "acusam", fosse uma sentença de morte e uma verdade absoluta.

Cabeça erguida! Eles mentem e a história já é antiga... Há décadas que as falácias dos anti-taurinos vêm “assassinando” a Festa e ainda aqui estamos, cada vez mais seguros do que queremos e do que importa.

E é preciso recordar-vos que 2017 promete ser um ano excepcional para a Tauromaquia?!

Já viram os cartéis que se anunciam? As Figuronas que por cá estarão? As casas cheias que se perspectivam? Teremos mais 2 ou 3 cavaleiros de alternativa! Os Grupos de Forcados têm sempre jovens que se apresentam nos treinos com vontade de serem "seleccionados" a integrar as fileiras das respectivas fardações. Temos duas mãos cheias de jovens que nos dão garantias de futuro e orgulho no toureio a pé nacional. As escolas de toureio estão cheias de miúdos, de ambos os sexos, que se não vierem a ser toureiros, serão certamente grandes conhecedores da Tauromaquia. Todos os dias surgem nas nossas praças novos aficionados, quer seja por idade quer porque se converteram finalmente a este mundo tão único, tão cheio de arte e tradição.

Ainda acham que não temos Futuro?!
Os nossos "números" não indicam isso e cá estaremos para o provar.

Por mim, se querem avançar números, digam-me os que vão ser sorteados no próximo Euromilhões, esses é que me davam jeito!

Tudo o resto... prova-se em Praça!

E 2017 promete...

Patrícia Sardinha





Partilhar no Google Plus

Sobre NATURALES

NATURALES, CORREIO DA TAUROMAQUIA IBÉRICA é um site independente de informação, análise, divulgação e crítica. Existe desde 25 de Julho de 2001, o que faz do NATURALES actualmente, a mais antiga publicação de toiros portuguesa na Internet.
    Blogger Comentários
    Facebook Comentários